Blog da Clínica

ÚLTIMAS NOVIDADES

qual-o-papel-dos-hormonios-sexuais-femininos-1200x800.jpg

Você com certeza já ouviu falar deles, mas sabe qual é o papel dos hormônios sexuais no seu corpo? Neste artigo quero te ajudar a compreender o que são estes hormônios, de que forma eles atuam no seu corpo e como influenciam na sua saúde e na sua vida. Vem comigo?

Hormônios sexuais: o que é isso?

Os hormônios sexuais atuam como mensageiros químicos no seu corpo. Eles são produzidos e liberados na corrente sanguínea pelas glândulas suprarrenais, e pelas gônadas, órgãos que produzem as células sexuais (gametas), como os ovários e os testículos. 

Além de influenciar na puberdade, no desenvolvimento sexual, no desejo sexual e na reprodução, os hormônios sexuais também têm papel importante na regulação do crescimento ósseo e muscular, nas respostas inflamatórias do organismo, no controle dos níveis de colesterol, na distribuição de gordura no corpo e até mesmo no crescimento do cabelo.

Ao longo da vida, é normal que os níveis dos hormônios sexuais variem, como durante a menstruação, ou no período da menopausa, por exemplo. O uso de algumas medicações e fatores ambientais também podem influenciar, por isso é imprescindível acompanhar o funcionamento hormonal com um ginecologista. 

 

Quais são e qual o papel dos hormônios sexuais femininos?

Os ovários e as glândulas suprarrenais são os principais produtores dos hormônios sexuais femininos: o estrogênio, a progesterona e a testosterona.

  • Estrogênio

Provavelmente você já ouviu falar dele, uma vez que é o hormônio sexual feminino mais conhecido. A maior parte do estrogênio no seu corpo é produzido pelos ovários, mas as glândulas suprarrenais e as células de gordura também têm uma pequena participação na produção. O estrogênio tem função fundamental no desenvolvimento reprodutivo e sexual, que inicia com a puberdade.

  • Progesterona

Importante regulador dos ciclos menstruais, a progesterona também é responsável por preparar o corpo para a gravidez. Este hormônio é produzido pelos ovários, pela glândula suprarrenal e também pela placenta. 

É normal os níveis de progesterona aumentarem durante a ovulação e durante a gravidez, por exemplo, mas quando a quantidade produzida é baixa, pode levar a uma menstruação irregular e dificuldade de engravidar. 

A baixa na progesterona também pode representar um risco maior de complicações no caso de uma gestação já em curso.

  • Testosterona

Mas testosterona não é um hormônio masculino? Sim, a testosterona é o principal hormônio sexual masculino, mas ela também está presente no corpo feminino, em menores quantidades. 

Ela tem participação na menstruação, na fertilidade e no desejo sexual. Além disso, também influencia na produção de glóbulos vermelhos, e produção de massa óssea. 

Hormônios sexuais: puberdade e menstruação

A puberdade feminina costuma começar entre os 8 os 13 anos, quando o corpo inicia um aumento na produção de estrogênio e progesterona. Isso provoca o desenvolvimento de características como o crescimento de pelos nas axilas, pernas e região pubiana; desenvolvimento das mamas; maior acúmulo de gordura na região dos quadris, coxas e nádegas; alargamento da pelve e quadris; aumento da oleosidade na pele e aumento de altura.

A primeira menstruação pode ocorrer entre os 8 e os 15 anos. O ciclo menstrual regular dura normalmente cerca de 28 dias, mas pode variar entre 24 e 38. Este ciclo é composto por três fases, que coincidem com as mudanças hormonais. O primeiro dia da menstruação representa o início de um novo ciclo. Durante este período, os níveis de estrogênio e progesterona estão baixos, o que pode influenciar na irritabilidade e nas alterações de humor.

A chamada fase folicular compreende o período de crescimento do folículo nos ovários, processo que origina o óvulo. Neste momento, os níveis de estrogênio vão crescendo aos poucos, o que estimula a liberação de endorfinas, que melhoram o humor e aumentam a energia. O estrogênio também é responsável por enriquecer o endométrio, preparando o útero para a gravidez.

Logo em seguida inicia a fase ovulatória, quando os níveis de estrogênio chegam ao pico, fazendo com que o óvulo seja liberado. Por sua vez, na fase lútea da menstruação, é quando o óvulo chega ao útero. O folículo que foi rompido para originar o óvulo libera progesterona, que também fortalece o endométrio. O óvulo se fixa na parede uterina e, se não fertilizado, faz com que os níveis de estrogênio e progesterona diminuam, o que marca a semana pré-menstrual. 

Quando o óvulo não fertilizado e o revestimento do útero deixam o corpo, na forma de menstruação, ocorre o fim de um ciclo e o início de um novo. 

 

Entender o funcionamento do ciclo menstrual é muito importante para a sua saúde. Clique aqui e confira um conteúdo sobre este assunto.

 

Hormônios sexuais na gravidez

Durante a gestação, o corpo da futura mamãe produz diversos hormônios. Inclusive, é o aumento do nível desses hormônios que produz alguns dos primeiros sintomas da gravidez, como náuseas e vômitos. 

A progesterona atua na construção de um colo do útero mais grosso e na formação do tampão mucoso. Além dela e do estrogênio, outros hormônios têm papel importante na gravidez, como a relaxina, que ajuda a evitar contrações do útero antes do parto; e o lactogênio placentário humano (HPL), que auxilia a regular o metabolismo da mãe e a nutrir o feto. 

Com o fim da gravidez, os hormônios voltam ao normal. Porém, quem amamenta pode sofrer uma queda no nível de estrogênio, o que acaba impedindo temporariamente a ocorrência de novas ovulações. 

 

Os hormônios sexuais na menopausa

A menopausa costuma ocorrer por volta dos 50 anos, quando a pessoa para de menstruar e não é mais possível engravidar. Chamamos de perimenopausa o período de transição que antecede a menopausa.  Este momento da vida é marcado por grandes alterações nos níveis hormonais, o que pode trazer diversos sintomas, como irregularidade no ciclo menstrual, secura vaginal, mudanças de humor, dificuldade para dormir, e as famosas ondas de calor. 

Descubra aqui como a nutrição pode ajudar a amenizar os sintomas da menopausa.

A perimenopausa pode durar de 2 a 8 anos. Consideramos que a menopausa chegou quando a pessoa passa um ano inteiro sem menstruar. A partir da menopausa, os ovários continuam a produzir estrogênio e progesterona, mas em quantidades muito menores. Os níveis baixos de estrogênio podem levar à redução do desejo sexual e à perda da densidade óssea, por isso, é importante estar alerta em relação à osteoporose. A alteração nos hormônios nesta fase da vida também pode aumentar os riscos de doenças cardíacas e acidente vascular cerebral (AVC).


ciclo-menstrual-entender-o-funcionamento-e-importante-para-a-saude.jpg

18/03/2021 Ciclo Menstrual

A menstruação é o sangramento vaginal que ocorre a cada mês nas mulheres. Também conhecido como ciclo menstrual, ele tem um papel muito importante para a saúde feminina.

 

O sangue menstrual é composto de sangue e tecido que se desprende a cada mês do revestimento do útero. Ele flui através de uma pequena abertura no colo do útero e sai do corpo pela vagina. A maioria dos períodos dura de três a cinco dias.

 

Compreender como funciona o ciclo menstrual, a importância de cada fase, e porque, de fato, ele ocorre, é fundamental para a mulher. E é sobre isso que abordo no artigo abaixo. Vamos lá?

 

O que é o ciclo menstrual?

A menstruação faz parte do ciclo menstrual e ajuda o corpo a se preparar para a possibilidade de gravidez. 

 

O primeiro dia do ciclo é o primeiro dia em que ocorre o sangramento. O ciclo menstrual médio é de 28 dias. No entanto, um ciclo pode variar de 23 a 35 dias.

 

Os hormônios aumentam e diminuem durante o ciclo. Por exemplo, entre esses hormônios estão o estrogênio e a progesterona, produzidos nos ovários, além do hormônio folículo-estimulante, ou hormônio luteinizante, produzido pela hipófise.

 

O que acontece durante o ciclo menstrual?

Em primeiro lugar, no início do ciclo menstrual, seus níveis de estrogênio aumentam e fazem o revestimento do útero crescer e engrossar. Em resposta ao hormônio folículo-estimulante, um óvulo em um dos ovários começa a amadurecer. 

 

Dessa maneira, por volta do 14º dia do seu ciclo, em resposta a um pico de hormônio luteinizante, o óvulo deixa o ovário. Isso é chamado de ovulação.

 

Como resultado, na segunda metade do ciclo menstrual, o óvulo começa a viajar pela trompa de Falópio até o útero. Os níveis de progesterona aumentam e ajudam a preparar o revestimento uterino para a gravidez. 

 

Se o óvulo for fertilizado por um espermatozoide e se prender à parede uterina, você ficará grávida. Mas se o óvulo não for fertilizado, ele se dissolve ou é absorvido pelo corpo. 

 

Porém, se a gravidez não ocorrer, os níveis de estrogênio e progesterona caem e o revestimento espesso do útero é eliminado durante o período menstrual.

 

Leia também::: Qual é a importância da microbiota vaginal?

 

Sangue menstrual

Durante o período menstrual, o revestimento uterino espessado e o sangue extra são derramados pelo canal vaginal. A menstruação de uma mulher pode não ser igual a cada mês e pode não ser igual à menstruação de outras mulheres. 

 

As menstruações podem ser leves, moderadas ou intensas, e a duração da menstruação também varia. Enquanto a maioria dos períodos menstruais duram de três a cinco dias, qualquer lugar de dois a sete dias é considerado normal.

 

Nos primeiros anos após o início da menstruação, os períodos podem ser muito irregulares. Eles também podem se tornar irregulares em mulheres que se aproximam da menopausa. 

 

Dessa forma, as mulheres podem ter vários tipos de problemas com a menstruação, incluindo dor, sangramento intenso e menstruação interrompida. As possíveis causas são variadas:

 

Amenorreia

Este termo é usado para descrever a ausência de menstruação aos 16 anos ou a ausência de menstruação em mulheres que costumavam menstruar regularmente. 

 

Por exemplo, as causas da amenorreia incluem gravidez, amamentação e extrema perda de peso causada por doenças graves, distúrbios alimentares, exercícios excessivos ou estresse. 

 

Problemas hormonais (envolvendo a hipófise, tireoide, ovário ou glândulas supra-renais) ou problemas com os órgãos reprodutivos podem estar envolvidos.

 

Dismenorreia

Ela se manifesta como dor durante a menstruação, incluindo cólicas menstruais severas.  Um hormônio chamado prostaglandina é responsável pelos sintomas. Às vezes, uma doença ou condição, como miomas uterinos ou endometriose, causa a dor. 

 

Sangramento Uterino Anormal

Como você sabe que seu sangramento é anormal? A princípio, esteja atenta a sangramentos extremamente intensos, períodos incomumente longos (também chamados de menorragia), períodos que se aproximam demais e  sangramento entre os ciclos menstruais. 

 

Por exemplo, em adolescentes e mulheres que se aproximam da menopausa, os desequilíbrios hormonais costumam causar menorragia e ciclos irregulares. 

 

Outras causas de sangramento anormal incluem miomas uterinos e pólipos. 

 

A idade em que uma garota começa a menstruar

Menarca é outro nome para o início da menstruação. A idade média em que uma menina começa a menstruar é 12 anos. 

 

No entanto, isso não significa que todas as meninas começam com a mesma idade. Ou seja, uma menina pode começar a menstruar a qualquer momento entre as idades de 8 e 16 anos. 

 

Além disso, a menstruação não ocorrerá até que todas as partes do sistema reprodutor da menina tenham amadurecido e estejam funcionando juntas.

 

Quanto tempo uma mulher tem ciclos menstruais?

As mulheres geralmente continuam menstruando até a menopausa. A menopausa ocorre por volta dos 51 anos. Isso significa que você não está mais ovulando (produzindo óvulos). Portanto, não pode mais engravidar.

 

Afinal, como a menstruação, a menopausa pode variar de mulher para mulher e pode levar vários anos para ocorrer. 

 

Algumas mulheres têm menopausa precoce por causa de cirurgia ou outros tipos de tratamento, ou até por doença.

 

Cada mulher é única

Como é possível perceber, o corpo humano é fantástico e o ciclo menstrual é uma prova disso. Mas cada momento é importante, e tem um significado enorme dentro do contexto geral da sua saúde.

 

Portanto, caso perceba qualquer alteração com seu ciclo menstrual, seja atrasos, ciclos muito curtos, excesso de sangue menstrual, dor, entre outros, procure seu médico ginecologista. Ele saberá identificar a causa por meio de exames e indicar o tratamento mais adequado.

 

Espero ter ajudado você a compreender seu ciclo menstrual, e como ele é importante para a saúde feminina. E para uma vida mais saudável, indico o vídeo que gravei para meu canal no Youtube. É só dar o play abaixo!

 


Dra. Patricia Bretz é Ginecologista, obstetra, especialista em Oncologia Ginecológica, Endometriose, Cirurgia minimamente invasiva, Implantes hormonais e Reprodução humana

Clínica Nova Vitta - 2019. Todos os direitos reservados.