Em que momento é recomendado iniciar a reposição hormonal?

06/08/2021
Em-que-momento-e-recomendado-iniciar-a-reposicao-hormonal-1200x675.png

Os hormônios são como o combustível que rege o nosso corpo. Por isso, a  reposição hormonal pode ser uma grande aliada das mulheres que buscam amenizar os sintomas da menopausa, e que querem envelhecer com mais saúde e qualidade de vida. 

Mas atenção! Antes de iniciar a reposição de hormônios, é preciso considerar uma série de fatores. No artigo a seguir explico um pouco sobre como funciona este tratamento, quais os seus benefícios e para quem é indicado.

 

Reposição hormonal: entenda como funciona

A chegada da menopausa traz grandes mudanças na vida da mulher. Os sintomas, além de gerar desconforto, também afetam a saúde física, o emocional e a autoestima. 

Muitos destes sintomas são resultados da diminuição da produção natural de hormônios pelo corpo da mulher nesta fase da vida. Por isso, a reposição hormonal se destaca como uma alternativa não só para melhorar a saúde, mas também para garantir uma menopausa mais tranquila e com mais qualidade de vida. 

Além disso, esta terapia também pode ajudar mulheres que sofrem com doenças ginecológicas, como a endometriose, ou que têm um ciclo menstrual difícil. Vou falar um pouco mais sobre isso a seguir.

Existem diversas formas de realizar a reposição hormonal, que pode ser feita por via oral ou por meio de implantes subcutâneos, por exemplo. O tratamento também pode incluir hormônios como estrogênio, progesterona, gestrinona, estradiol e levonorgestrel. 

O tipo de hormônio, a dosagem e o tempo de tratamento só podem ser determinados por um médico ginecologista, após uma avaliação criteriosa de cada caso. A seguir, deixo um vídeo que preparei para explicar de forma bem didática como a reposição hormonal funciona. Confira!

 

Você sabe qual o papel dos hormônios na libido feminina? Clique aqui e descubra.

 

Alguns benefícios da reposição hormonal

  • Ajuda a amenizar as ondas de calor do climatério; 
  • Melhora a qualidade para o sono;
  • Para as mulheres passando pela menopausa, a reposição auxilia na prevenção da perda de massa óssea, que pode levar à osteoporose;
  • Também ajuda na perda da massa muscular comum durante a menopausa;
  • Melhora a lubrificação vaginal, que costuma ficar comprometida durante a menopausa;
  • Pode ajudar na libido feminina, que também é impactada pela chegada da menopausa;
  • Suaviza sintomas da TPM;
  • Ameniza as cólicas intensas e o fluxo menstrual excessivo.

Quando é hora de fazer reposição hormonal?

Apesar de trazer muitos benefícios, a reposição hormonal não é indicada para todas as mulheres. Desta forma, só quem poderá orientar o uso desta terapia é um médico ginecologista, após a avaliação da paciente.

A reposição hormonal é normalmente indicada para mulheres que sofrem com doenças ginecológicas, como a endometriose, ou que tenham sintomas muito acentuados durante o ciclo menstrual, como cólicas muito fortes e fluxo intenso.

Além disso, a reposição hormonal costuma ser uma orientação para mulheres que estão passando pela menopausa. Isso porque a reposição auxilia na regulação de uma série de sintomas comuns nesta fase da vida. 

Por exemplo, a reposição hormonal ajuda a diminuir os fogachos e a sudorese noturna. Estes são alguns dos sintomas mais comuns da menopausa, e costumam atingir cerca de 70% das mulheres. Além de gerar grande desconforto, prejudicam o sono, a produtividade e a qualidade de vida da mulher. 

A reposição de hormônios também ajuda na manutenção da saúde cognitiva e atua também em outros fatores que são influenciados pela diminuição da produção natural de hormônios, como a perda de massa óssea e muscular, a qualidade do sono, as alterações de humor, a lubrificação vaginal, a textura da pele e do cabelo.

A adoção da terapia hormonal considera fatores como a idade da paciente, a gravidade dos sintomas, e possíveis contraindicações. No caso das mulheres que querem adotar a reposição hormonal para melhorar os sintomas da menopausa, o indicado é iniciar antes dos 60 anos, caso tenha entrado na menopausa há menos de dez anos e tenha baixo risco cardiovascular e para câncer de mama.

Para quem tem 60 anos ou mais, entrou na menopausa a mais de dez anos e tem risco moderado de doença cardiovascular ou câncer de mama, a terapia hormonal pode ser considerada, conforme orientação médica. Porém, mulheres com alto risco de doença cardiovascular ou câncer de mama devem evitar a reposição hormonal.

 

Clique aqui para saber mais como a reposição de hormônios pode melhorar a sua qualidade de vida.

 

Espero que este artigo tenha lhe ajudado entender melhor como funciona a reposição de hormônios e como ela pode garantir mais saúde e qualidade de vida para as mulheres. Se você quer saber mais sobre este assunto, entre em contato comigo por aqui.

Você pode conferir mais conteúdos aqui do blog e me acompanhar também no Facebook, no Instagram e no Youtube

Até o próximo artigo!

Dra. Patricia Bretz é Ginecologista, obstetra, especialista em Oncologia Ginecológica, Endometriose, Cirurgia minimamente invasiva, Implantes hormonais e Reprodução humana

Clínica Nova Vitta - 2019. Todos os direitos reservados.