Hábitos para melhorar a libido na menopausa

21/06/2021
Habitos-para-melhorar-a-libido-na-menopausa-1200x600.jpg

Uma das queixas que mais recebo no meu consultório é sobre a diminuição da libido na menopausa. Além das alterações de humor e das ondas de calor, este também é um sintoma comum durante esta fase da vida. Mas fique tranquila: a queda na libido pode ser tratada com a ajuda de um ginecologista. 

Neste artigo, vou explicar como é possível viver a menopausa com leveza e sem abrir mão dos prazeres da vida. 

 

A libido na menopausa

Durante a menopausa, os níveis hormonais sofrem grandes alterações. A queda na quantidade de estrogênio produzida pelo corpo é uma das maiores responsáveis pela diminuição da libido. Mas ele não é o único culpado: a testosterona é outro hormônio que influencia na libido e que também sofre uma diminuição gradual na sua produção com o passar da idade.

Assim, durante a menopausa, a  quantidade menor de estrogênio afeta os tecidos vaginais e vulvares, o que prejudica o fluxo sanguíneo na região, diminui a capacidade de lubrificação natural e a contratilidade do músculo. Por sua vez, menos testosterona pode diminuir a energia, o desejo sexual e a capacidade de atingir o orgasmo. 

 

Você sabe quais são os hormônios sexuais e como eles atuam no seu organismo? Clique aqui e saiba mais sobre o que acontece no corpo durante a menopausa.

 

Como melhorar a libido na menopausa

Pode parecer difícil, mas com os cuidados certos, é possível equilibrar os sintomas da menopausa e ter uma vida plena e com qualidade. Neste processo, o suporte de um médico ginecologista é fundamental.

Além de monitorar os níveis hormonais por meio de exames, o ginecologista pode ajudar a encontrar as melhores formas de tratar os sintomas. Para isso, ele também vai considerar a sua rotina e hábitos de vida.

Desta forma, é muito importante realizar uma avaliação individualizada para enfrentar a menopausa. Alguns cuidados são essenciais, não só para as mulheres que estão passando por esta fase, mas para todas que buscam cuidar com carinho do seu corpo e envelhecer com saúde. 

 

Como está a sua alimentação?

A dieta é um fator fundamental quando falamos em libido na menopausa. Mas não é só isso: uma alimentação saudável e balanceada pode também ajudar a amenizar outros sintomas. Alguns alimentos, inclusive, não podem faltar na rotina das mulheres em menopausa, como a linhaça e as castanhas. 

O excesso de açúcar, alimentos processados e gorduras saturadas são grandes vilões da libido, e da saúde, de forma geral. Além disso, a alimentação influencia de forma direta a quantidade de energia. Portanto, uma alimentação leve e equilibrada garante energia para o corpo, com menos desgaste durante a digestão. 

Mas alimentos açucarados não trazem energia? Não exatamente. O excesso de açúcar aumenta o nível de glicose no sangue, o que gera uma rápida carga de energia, mas também uma queda acentuada logo em seguida. Esse ciclo não só é perigoso para a saúde, como pode contribuir com acúmulo de gordura no corpo.

Uma ajudinha na alimentação: alguns alimentos são famosos por suas propriedades afrodisíacas e podem ser aliados para melhorar a libido na menopausa. Alguns exemplos são: pimenta, gengibre e açafrão. Mas claro, devem estar acompanhados de uma dieta saudável.  

 

Vamos mexer esse corpo?

Outro fator importante para equilibrar os sintomas da menopausa é a prática regular de atividades físicas. Exercitar o corpo induz a liberação de hormônios que produzem a sensação de bem-estar. Além disso, os exercícios físicos ainda ajudam a controlar a queda na testosterona e a diminuir a gordura, que está associada a outros sintomas da menopausa, como as ondas de calor e a sudorese noturna. 

Exercícios moderados, como caminhar, dançar e andar de bicicleta são ótimos para aumentar o fluxo sanguíneo entre os músculos e o cérebro. Por sua vez, os treinos de resistência, como flexões e agachamentos, fortalecem a musculatura. 

Por fim, exercícios como ioga e pilates trabalham o eixo corpo-mente, ou seja, além de aumentarem a flexibilidade, ajudam a liberar a tensão e administrar o estresse. Desta forma, também podem beneficiar muito na libido.

 

Uma dose extra de felicidade

Existem diversos hormônios no nosso corpo, todos com funções bem importantes. Se os hormônios sexuais têm uma queda durante a menopausa, outros neurotransmissores entram em ação para ajudar. 

Alguns exemplos são a serotonina, a dopamina, a ocitocina e a endorfina. Estes hormônios são famosos por transmitirem sensação de bem-estar, felicidade e prazer. Para manter seus níveis em alta, além de uma alimentação balanceada e a prática de exercícios físicos, é importante cultivar atividades prazerosas e estar perto de quem se ama.

Passar um tempo de qualidade com o seu parceiro ou parceira pode te ajudar a manter os hormônios do bem-estar lá em cima. Além disso, também pode contribuir para que você se sinta acolhida, desejada e satisfeita com o relacionamento. E, sendo assim, despertar um maior interesse pelo contato sexual. 

 

Reforço hormonal

Uma alternativa com bons resultados para a recuperação da libido na menopausa é a reposição hormonal. Os implantes hormonais costumam ser indicados não apenas nestes casos, mas também para mulheres que estão tendo dificuldades com outros sintomas comuns neste período. 

Porém, a adoção desta terapia hormonal só pode ser prescrita por um ginecologista, após avaliação individual. Saiba mais sobre a reposição hormonal durante a menopausa clicando aqui

 

A menopausa é um grande marco para as mulheres. Ela chega para sinalizar o fim de um ciclo, mas não precisa ser sinônimo de angústia ou sofrimento. Ela também é o começo de uma nova fase na vida, cheia de prazeres e descobertas. 

Espero que este conteúdo tenha ajudado a responder as suas dúvidas sobre libido na menopausa. Se você quer saber mais sobre este assunto, entre em contato comigo por aqui.

Você pode conferir mais conteúdos aqui do blog e me acompanhar também no Facebook, no Instagram e no Youtube

Até o próximo artigo!

 

Dra. Patricia Bretz é Ginecologista, obstetra, especialista em Oncologia Ginecológica, Endometriose, Cirurgia minimamente invasiva, Implantes hormonais e Reprodução humana

Clínica Nova Vitta - 2019. Todos os direitos reservados.